Navegador que distribui internet via torrent pode acabar com ataques DDoS

imagem.php

No final do ano passado, o BitTorrent lançou um navegador que permite hospedar conteúdo na internet usando o conceito de compartilhamento dos arquivos torrent. E, mesmo tendo entrado em testes há pouquíssimo tempo, a novidade já dá sinais de que pode ter chegado para mudar a forma como a internet funciona.

Batizado de Project Maelstrom, o navegador construído sobre a mesma arquitetura do Chrome faz com que páginas não precisem ser hospedadas em um servidor; ao invés disso, são os próprios internautas que as mantêm no ar – exatamente como ocorre com arquivos torrent.

Quando uma página torrent (como eles chamam esses sites) é colocada no ar, seu publicador fica sendo o hospedeiro. Assim que recebe uma visita pelo Maelstrom, o visitante passa a dividir a hospedagem; quando um terceiro internauta chegar ao endereço, fará a conexão com dois “servidores” e ainda se tornará mais um.

Esse esquema praticamente inviabiliza ataques de negação de serviço (DDoS), um dos métodos mais eficazes de se derrubar um site atualmente (é assim, por exemplo, que hackers vivem tirando a PlayStation Network do ar). Isso porque a intenção do ataque é sobrecarregar o servidor, como as páginas torrent não têm hospedagem centralizada, é praticamente impossível aumentar o acesso a ponto de derrubá-las.

“Quando um site não está preparado para um carregamento massivo de usuários, seu servidor cai”, ressalta Rob Velasquez, gerente de produto do BitTorrent, ao MIT. “Isso não acontece com BitTorrent: quanto mais visualizada a página é, mais usuários a pessoa tem para baixar o arquivo.”

Segundo ele, milhares de desenvolvedores estão testando o Maelstrom, sendo que um deles até criou um plugin que permite publicação de conteúdo no WordPress dentro do formato torrent. A versão pública do navegador deve chegar até o fim do ano, quando ele será levado ao grande público.

Então as grandes empresas precisarão ser convencidas de que vale a pena criar páginas dessa forma e os desenvolvedores de navegador, como Google (Chrome), Microsoft (Internet Explorer) e Mozilla (Firefox), de que seus produtos devem ser atualizados para oferecer suporte ao novo formato.

Se isso acontecer, serviços como Netflix e YouTube, que carregam boa parte do tráfego de dados da internet, podem beneficiar os clientes com produtos que não caem nunca. E governos teriam sites à prova de desastres, o que seria um ganho considerável, visto que páginas informativas costumam sair do ar justamente quando se precisa delas.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/navegador-que-distribui-internet-via-torrent-pode-acabar-com-ataques-ddos/46506

avatar_wordpress_clean61251_thumb313214_thumb.png

http://fabianoflorentino.com

Anúncios

Publicado em 29 de janeiro de 2015, em Olhar Digital e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Um comentário começa grandes debates!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: