Pacotão de segurança: o que realmente ajuda a proteger o PC?

Coluna comenta pergunta de leitor. Deixe sua dúvida na área de comentários.

Altieres Rohr

Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados, etc), vá até o fim da reportagem e utilize a seção de comentários. A coluna responde perguntas deixadas por leitores todas as quartas-feiras.

Proteger um computador não é uma tarefa simples e, infelizmente, existem muitas “soluções” divulgadas que na verdade pouco contribuem na hora de evitar um crime virtual ou perda de dados. Um leitor comentou o seguinte:

O Windows Defender nasceu do GIANT Anti-Spyware, que foi comprado pela Microsoft (Foto: Reprodução)

Windows Defender nasceu do GIANT Anti-Spyware, que foi comprado pela Microsoft (Foto: Reprodução)

>>> Ferramentas de segurança no PC
Todos os computadores possuem os seus antivírus e firewalls, mas isso não os impede de serem infectados. A ferramenta da Microsoft, o Windows Defender, aparenta ser inútil. De uma forma geral e acessível para todos: o que pode ser feito para aumentar a segurança de seus computadores e suas informações? A ferramenta do Site ShieldsUp mostra que quase todos os firewalls não funcionam em modo Stealth, no entanto em modo Stealth os computadores são realmente muito mais seguros? O Tor Project alega que é importante manter a privacidade de nossas informações on-line, o uso dessa ferramenta também ajuda?


Filipe Souza

Filipe, você levantou diversas questões – todas válidas. Vamos começar pelo mais fácil – a do Windows Defender. Ele parece inútil hoje, mas nem sempre foi assim.

O Windows Defender nasceu como “Microsoft Anti-Spyware” e é um produto que teve uma importância histórica, quando os antivírus enfrentavam problemas para detectar e remover as pragas associadas a softwares publicitários – que eram os adwares e os spywares.

Com o tempo, os antivírus foram detectando essas pragas, algumas fabricantes de antivírus compraram empresas que faziam softwares de remoção de spywares. A própria Microsoft entrou no mercado comprando o Giant Anti-Spyware (que virou o Windows Defender). O Windows Defender só parece inútil hoje graças a esses desenvolvimentos da indústria e também de órgãos fiscalizadores dos Estados Unidos, que puniram companhias envolvidas na distribuição e desenvolvimento de spywares.

É importante não confundir o Windows Defender com o Security Essentials, que foi resultado da aquisição de outro produto, o Reliable Anti-Virus (RAV) e que tem uma tecnologia diferente. O Security Essentials substitui o Windows Defender, porque realiza todas as funções dele e muitas outras.

Para a maioria dos casos, o firewall do Windows oferece uma proteção suficiente (Foto: Reprodução)

Para a maioria dos casos, o firewall do Windows oferece uma proteção suficiente (Foto: Reprodução)

Firewall e o ‘stealth’
Ter um firewall que mantém o computador no modo “stealth” (invisível) não faz muita diferença – a maior parte dos problemas hoje não é do tipo que um firewall iria prevenir. Um firewall pode ter a função de impedir uma informação de vazar do seu computador, mas isso não tem nenhuma relação com o modo “stealth” e depende de muito cuidado de quem está usando o PC – uma atitude bastante desgastante, mas que mesmo assim não pode garantir que nenhuma informação está sendo vazada.

O modo stealth apenas significa que seu computador está “invisível”, ou seja, que ele não responde nenhuma solicitação feita pela rede. Muitos ataques são realizados de forma cega, sem verificar se o computador de fato existe ou não – então a diferença entre avisar sobre um bloqueio ou ficar invisível é muito pequena. A coluna sempre sugeriu que, para a maioria das pessoas, o firewall do Windows, em configuração padrão, é suficiente.

Em ataques já feitos com o uso da rede, como é o caso dos vírus Blaster, Sasser e Conficker, o firewall não precisava deixar o computador invisível, apenas bloquear as conexões de entrada – exatamente o que o firewall do Windows faz. É claro que alguns fabricantes de firewalls precisam tentar mostrar de uma maneira fácil que são melhores do que o firewall interno do Windows. Na prática, a diferença é muito pequena.

Tor
Poucos entendem realmente o propósito do Tor. Navegar na internet usando o Tor não vai deixa-lo mais seguro. Ao contrário: a comunicação do Tor passa, na “ponta”, por outro computador, chamado de “nó de saída” (exit node). Isso significa que alguém pode monitorar seus dados e, de fato, sabe-se que órgãos de inteligência operam exit nodes. Em 2007, um pesquisador mostrou como é possível capturar senhas dessa forma.

saiba mais

O Tor é útil para manter a origem da conexão desconhecida, ou seja, você. Ele não protege seus dados. Se você quer evitar ser associado a uma informação publicada ou lida na internet, o Tor pode ajudar. Se você quer apenas proteger seus dados, o Tor vai diminuir sua segurança.

Afinal, o que fazer?
Existem muitas informações que só complicam a tarefa de realmente proteger o PC. Mas há atitudes simples que fazem muita diferença:

1. Usar a versão atualizada de softwares que lidam com a internet, como navegadores web e plugins, como Flash, reprodutores multimídia e o próprio sistema operacional. Isso normalmente é possível com um recurso de atualização automática.
2. Operar o sistema com uma conta de usuário limitada;
3. Realizar backups (cópias de segurança).

Somadas com outros cuidados – para não ser enganado por e-mails que dizem ser do banco ou de outras empresas –, essas atitudes vão realmente aumentar sua segurança, diminuir o dano que uma praga digital pode causar e proteger seus dados contra problemas de qualquer natureza – seja um vírus ou um disco rígido danificado.

A coluna Segurança Digital de hoje termina aqui, mas toda quarta-feira tem mais um pacotão respondendo dúvidas de leitores. Não se esqueça de deixar sua dúvida na área de comentários, logo abaixo. Até a próxima!
*Altieres Rohr é especialista em segurança de computadores e, nesta coluna, vai responder dúvidas, explicar conceitos e dar dicas e esclarecimentos sobre antivírus, firewalls, crimes virtuais, proteção de dados e outros. Ele criou e edita o Linha Defensiva, site e fórum de segurança que oferece um serviço gratuito de remoção de pragas digitais, entre outras atividades. Na coluna “Segurança digital”, o especialista também vai tirar dúvidas deixadas pelos leitores na seção de comentários. Acompanhe também o Twitter da coluna, na páginahttp://twitter.com/g1seguranca.

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/11/pacotao-de-seguranca-o-que-realmente-ajuda-proteger-o-pc.html

Anúncios

Publicado em 12 de novembro de 2011, em G1 - Tecnologia e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Um comentário começa grandes debates!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: