Fazendo jus ao nome GNU/Linux


Autor: Lúcio Silva <lunix3411 at hotmail.com>
Data: 05/01/2010

Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Quando somos apresentados para alguém ou a um grupo de pessoas, queremos que todos saibam qual é o nosso nome. Afinal, ninguém deseja ser atendido como Seu Coisa, Pessoa, Rapazinho, Carinha, Tiozinho ou qualquer coisa que o valha! Agora imagine você trabalhando numa importante empresa multinacional no qual sendo um dos membros efetivos de uma equipe, está trabalhando duro num projeto que irá dar um lucro exorbitante para a empresa; onde muitas das principais ideias de melhorias e inovação partiram da sua cabeça e, então, quando finalmente o projeto emplaca e faz o sucesso esperado, eis que o seu nome não consta na lista ou sequer é mencionado naquela reunião com os diretores, gerentes e acionistas! Ou seja, como se diz na gíria: “Você não vai sair (aparecer) na foto!” Situação esta lamentável depois de tanto esforço!
Pois é, e o que isso tem haver com o Linux?

Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Bem, isso de algum modo aconteceu com o nosso querido sistema operacional, cujo nome Linux engloba uma comunhão de ideologias, filosofias, distinção de propriedade e comunidade, software livre, aplicativos de sistema, programas aplicativos, código fonte aberto (open source), direito a tecnologia a um custo justo, ou simplesmente não pagar nada por isso e a seu bel-prazer fazer uso absoluto disso tudo!
A fome de um americano e a vontade de comer de um finlandês.

Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Em meados de 1983, Richard Stallman criou a Fundação do Software Livre (FSF- Free Software Foundation), no qual nasceu o projeto chamado GNU, acrônimo de GNU is not Unix (GNU não é Unix). Foram criadas várias ferramentas e comandos necessários para um sistema operacional. Entretanto, ele só não conseguiu criar um kernel, que é o coração do sistema que é responsável, a grosso modo, pela comunicação direta do usuário com o hardware!
Por outro lado em 1990, Linus Torvalds desenvolveu esse núcleo ou kernel no que batizou de Linux, mescla de Linus + Unix, e disponibilizou abertamente o código fonte, que de tal maneira se integrou ao projeto GNU, que até parece que ambos foram feitos um para o outro! Porém é preciso dizer que Linus não esperava obter o sucesso que alcançou com seu kernel e não compartilhava dos mesmos ideais que Stallman defendia ardorosamente.
Pelo que pesquisei ele usou as ferramentas GNU por iniciativa própria, ou seja, os caras não se encontraram e disseram: “- Vamos puxar o tapete do Bill?”. Mas a coisa despertou interesse de empresas e afins e não é preciso dizer no que deu, pois eu não estaria redigindo este pequeno artigo a respeito de algo que é auto-sustentável, colaborativo e que cresce a cada dia!

Estabelecendo conceitos

Com tudo isso dito e voltando à minha introdução! Não é justo se referir ao sistema GNU/Linux, como somente Linux. Saiba que só o kernel do Linus Torvalds sozinho não é capaz de fazer absolutamente nada, é só um coração sem corpo e cérebro!
Assisti a um vídeo de um evento realizado em Madri, Espanha; onde um rapaz saudava Linus como um semi-deus e achei isso um absurdo. Ele ria e se afastava do jovem deslumbrado e desinformado e numa entrevista no mesmo evento disse que não gostava de ter contato direto com o usuário final do sistema, que somente aparece nestes eventos com o único fim de ver possíveis novidades.

Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Saiba que ele detém os direitos da marca Linux e ganha merecidamente um bom dinheiro com isso, até aí tudo bem! Ele só não pode e mesmo que quisesse, tornar o kernel proprietário, mesmo sendo o seu criador! Graças a licença GPL (Licença Geral Pública) na qual o kernel é protegido e isso nunca poderá ocorrer! Os americanos são os maiores defensores de direitos legais e autorais no planeta e as leais que as regem são defendidas com unhas e dentes, pra não dizer com bombas e fuzis!
Em contrapartida, Richard Stallman é o grande mentor do software livre, viaja o mundo todo dando palestras, divulgando os seus ideais de que software deve ser livre para o bem comum da humanidade e sempre esta rodeado por pessoas de todas as idades, embora visto por muitos como um cara esquisito, com jeitão de hippie, devido aos longos cabelos e barba desleixada. Mas se ele é o pai do software livre, então quem seria a mãe? Não ouso responder! (Rsrsrsrsrs)

Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Bill Gates publicamente o chamou de comunista e anti-capitalista (o mundo já foi dividido entre dois blocos: o comunista, representado pela antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, cuja sigla era URSS e o capitalista, tendo os Estados Unidos da América junto a Inglaterra, a força anglo-saxônica imperialista, em que as bases capitalistas de mercado venceram e eles ditam as regras até os dias atuais) e que se dependesse de Stallman os programadores de softwares passariam fome. Será? Os resultados práticos mostram que não! Vocês acham realmente que a Novell, a Canonical, a Red Hat entre muitas outras empresas não lucram com o GNU/Linux? O fato é que eles ganham dinheiro com o suporte e não com a venda de programas e licenças de uso, contrariamente ao modelo proprietário tendo a Microsoft como seu maior expoente.

Somos uma comunidade

Antes que você me critique! É claro que não estou aqui pra induzí-lo ou forçá-lo a como chamar o nosso sistema operacional. Quem sou eu e não tenho tal pretensão! Não há nenhum problema em simplesmente dizer: Linux!
Eu também o chamo assim! É até mais prático. Porém ao escrever ou apresentar o programa a outras pessoas que não o conhecem, seria de muita elegância dar os devidos créditos a quem com muito trabalho, dedicação e acima de tudo com altruísmo, abdicou de se enriquecer e ser mais um bilionário no setor da informática.
Graças a esta iniciativa milhares de pessoas ao redor do mundo se beneficiam de um sistema operacional que não é uma alternativa mais sim uma solução sustentável que traz vantagens econômicas e sociais para os que o adotam.
O governo brasileiro já economizou milhares de reais com a adoção do software livre, ou simplesmente GNU/Linux. O dinheiro que se pagava de licença à Microsoft dá para investir em áreas mais primordiais ao nosso povo. Bom, se eles usam ou não o dinheiro economizado para outros fins isso já é uma outra questão. O fato é que essa economia existe e pode ser aplicada para o bem da nação!
Seja qual for a sua distro ela é composta basicamente por três frentes a saber:

  1. Comandos e ferramentas GNU: Tendo Richard Stallman como seu criador e gerente;
  2. Programas aplicativos: Amarok, Firefox, K9copy, Brasero, KDE, GNOME…
  3. Kernel Linux do Linus Torvalds.

A soma disso tudo, dá como resultado a denominação correta e justa ao sistema operacional:
GNU/Linux
“Tudo se resume em mudar a própria cabeça”
Lunix


Anúncios

Publicado em 25 de julho de 2011, em Vivaolinux. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Um comentário começa grandes debates!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: